Amamentar gémeos

Página Inicial
Voltar
Dificuldades iniciais
Amamentar gémeos
Bebé debilitada
Preconceitos

 

«Amamentar é uma sensação indescritível...»

 

Sou mãe de dois lindos meninos gémeos que têm quatro meses e estão a ser amamentados. É maravilhoso!

         Mas nem tudo é assim tão fácil!

         No início, logo após a saída da Maternidade, em casa, senti muita dificuldade em colocar os meus bebés a amamentar. Achava que por mais tentativas que fizesse os meus bebés não agarravam bem os seios; ou seja talvez a “pega” não fosse a mais correcta.

         Apesar de ter lido bastante sobre “amamentação” e, de me ter informado junto dos profissionais de saúde, nem tudo correu bem. Depois de cinco dias em casa, com os meus bebés, o que muito temia aconteceu!.... Um dos bebés não aumentou de peso, manteve, e o outro bebé perdeu noventa gramas. Meu Deus que desespero! Não podia acontecer, já que tinham nascido prematuros, (trinta e seis semanas e um dia) …

         Logo eu, que desde o início vivia obcecada com o peso deles, pois, disse o meu Obstetra que a primeira pergunta que lhe fiz, após o parto, foi sobre o peso dos bebés. Não me lembro! Ainda estava sob o efeito da anestesia, tinha sido uma cesariana que correu muito bem…

         Bom, mas não desanimei, dirigi-me ao Centro de Saúde de Belmonte e procurei ajuda! A dificuldade centrava-se sobretudo na posição correcta dos bebés ao peito e numa “pega” correcta, porque com os meus seios estava tudo bem, sempre tive muito cuidado para que nada acontecesse e raramente me doeram.

         As “sessões” no C.S.B. prolongaram-se por mais quatro dias e no final desse tempo os meus bebés aumentaram de peso, (apesar de ter sido necessário um pouco de suplemento recomendado pelo Pediatra, que de forma lenta os meus bebés foram deixando)!

         Ultrapassadas as dificuldades havia que desfrutar destes momentos únicos e esquecermos o resto.

         Às vezes também é preciso um pouco de paciência, mas tudo passa com muita força de vontade e como dizem os “sábios”, por vezes é necessário dar tempo ao tempo. E na verdade os meus bebés são tranquilos, dão muito trabalho mas são a melhor “coisa” do mundo.

         Dou ainda peito aos meus filhotes, aos dois ao mesmo tempo. Ah! E cada bebé tem o seu seio preferido. O Zé Miguel prefere o peito do lado esquerdo (talvez porque sente as batidas do meu coração, pois na gravidez estava numa posição mais próxima dele) e o João prefere o peito do lado direito.

         São momentos muito especiais para nós os três!

         Li algures por aí: “Amamentar é uma sensação indescritível”, acreditem!

 

(Paula Cristina A. Correia M. Elvas, professora, mãe do João e do Zé Miguel)